A importância do Big Data no Ensino Adaptativo segundo Martha Gabriel

Martha Gabriel aborda relação da aprendizagem ativa com a tecnologia
3 de maio de 2016
Martha Gabriel dá dicas para uso da tecnologia na educação
3 de maio de 2016

Publicado em 3 de maio de 2016

TecEduc-pt3

Análise de dados dos estudantes também pode contribuir para a personalização do ensino e aprendizagem, explica a consultora

Como você imagina a Educação daqui a um ano, considerando o avanço da tecnologia? O reconhecido relatório NMC Horizon Report, que indica os novos rumos educacionais em todo o mundo, aponta o incentivo ao uso de dispositivos móveis e o Ensino Adaptativo a partir do Learning Analytics (análise de dados gerados pelo Big Data) como as principais tendências em curto prazo em sua edição mais recente, divulgada em fevereiro de 2016.

Com a análise de dados dos alunos, é possível personalizar a aprendizagem de acordo com seus perfis, identificar possíveis problemas e se antecipar a eles, destaca a publicação. Partindo desse cenário, a consultora e palestrante Martha Gabriel acredita que, por conta do Big Data, o Ensino Adaptativo possa ser uma importante ferramenta para atender às necessidades individuais dos estudantes. Veja o que ela disse sobre o tema, com exclusividade à TecEduc!

“Da mesma forma que algumas escolas têm tutores para auxiliar os estudantes nas atividades extraclasse, como apoio complementar ao trabalho do professor em sala de aula, o Ensino Adaptativo funciona como um tutor particular computacional customizado para cada aluno. Assim, quando implementado corretamente, os efeitos dos sistemas adaptativos tendem a ser, no futuro, até mais eficientes do que um tutor humano (da forma como ele é hoje). Pois, fazem um acompanhamento individual (enquanto tutores humanos normalmente atendem grupos de alunos ao mesmo tempo) e podem conter conhecimentos adicionais de ciência cognitiva que um instrutor médio não possui. Por exemplo, a maioria dos professores não sabem os detalhes sobre quais os intervalos de tempo que os humanos deveriam ser retestados sobre informações que devem ser memorizadas para garantir que tenham passado para a memória de longa duração. Por meio da observação do desempenho dos alunos, esses sistemas podem obter dados sobre a cognição humana para melhorar o seu próprio processo no futuro. Quanto mais dotados de inteligência artificial e acesso ao Big Data, mais esses sistemas poderão contribuir para a aprendizagem individualizada, realmente focada no estudante, no seu ritmo, seus interesses e particularidades.”

Mais da série #MarthaGabrielNaTecEduc:
Parte 1: Martha Gabriel fala sobre tecnologia e educação na Era Digital à Revista TecEduc
Parte 2: Martha Gabriel aborda relação da aprendizagem ativa com a tecnologia
Parte 3: A importância do Big Data no Ensino Adaptativo segundo Martha Gabriel
Parte 4: Martha Gabriel dá dicas para uso da tecnologia na educação

* Artigo originalmente publicado na revista TecEduc do Positivo em 09/03/2016: http://www.positivoteceduc.com.br/em-pauta/big-data-ensino-adaptativo-martha-gabriel-teceduc/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *