fundo parallax

Era digital: Você sofre de “Fadiga de Decisão”?

50+ Filmes para Entender o Mundo Digital
3 de Abril de 2017
Direção vs Velocidade: o equilíbrio entre “ser” e “ter”
10 de Abril de 2017

por Martha Gabriel, 10 de Abril de 2017

Ao mesmo tempo em que a vida moderna nos traz incontáveis benefícios, ela também tem se revelado como um dos nossos piores e mais implacáveis inimigos, que nos sabota de forma invisível.

Sofremos, hoje, uma mudança de era, regida por um ritmo vertiginoso inédito de transformações devido ao aumento de velocidade que a tecnologia nos impõe. Uma das principais consequências imediatas desse fenômeno é a multiplicação exponencial de possibilidades (variedade) e quantidade (volume) das opções que se apresentam em cada instante da nossa existência. Essa sobrecarga de opções e informações, por sua vez, impacta consideravelmente uma dimensão essencial de nossas vidas: a força de vontade que temos disponível a cada momento para fazer análises e tomar decisões.

Ao contrário do que se imagina, a força de vontade não é um fator constante no nosso organismo, mas uma habilidade que diminui conforme a vamos utilizando – esse efeito é batizado de “Decision Fatigue”, ou, “Fadiga de Decidir”. Em outras palavras, quanto mais decisões somos obrigados a tomar ao longo do dia, mais debilitados vamos ficando para tomar novas decisões, pois cada uma delas consome um pouco da nossa força de vontade disponível, diminuindo (e, eventualmente, esgotando) o seu estoque para ser usado nas próximas. Esse processo prejudica a nossa habilidade de julgamento e ação, comprometendo a nossa performance diária — produtividade e resultados.

Assim, se desperdiçamos nossa capacidade de decisão com coisas que não são importantes, teremos dificuldade de decidir as coisas que importam ao longo do dia. Por exemplo, se iniciamos o dia tendo que resolver coisas banais — roupa que usaremos, se passamos na lavanderia, o que preparar no jantar, respostas nas mídias sociais, etc. –, quando chegamos no trabalho e precisarmos tomar decisões importantes, já teremos consumido uma boa parte da nossa força de vontade para decidir.

Para combater a Decision Fatigue precisamos fazer a gestão e planejamento das nossas decisões — controle o seu dia ou ele te controlará! Isso pode ser implementado por meio de duas medidas práticas no nosso cotidiano:

1) Delegar para outros decidirem tudo aquilo em que não somos essenciais – a pergunta a ser feita aqui é: quem é a melhor pessoa para decidir isso? Se não for você, delegue. Eventualmente, os bots inteligentes estão se tornando nossos assistentes pessoais e têm grande potencial para nos auxiliar e facilitar a tomada de decisões.

2) Gestão das decisões – todas as decisões banais possíveis devem ser tomadas na noite anterior e não no início do dia. No meu caso, deixo pronto alguns conjuntos de roupas e acessórios para uso em palestras, de forma que quando estou me preparando para um evento, nunca preciso pensar para escolher a roupa! Isso foca a minha energia e decisões naquilo que realmente importa naquele momento, que é a minha palestra em si.

Pequenas mudanças na gestão da nossa vida podem trazer grandes diferenças de resultados. Somos a soma das nossas decisões — quanto melhores elas forem, melhores seremos também. Qual a sua próxima decisão?

(*) texto originariamente publicado no LinkedIn Pulse em 10/12/2016

1 Comentário

  1. […] as melhores decisões no período da manhã, sendo que no período da tarde já sofriam com a Fadiga de Decisão. O estudo mostrou que quanto mais decisões somos obrigados a tomar ao longo do dia, mais […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assinar Newsletter

NEWSLETTER

Quer receber novidades sobre cursos e eventos e as últimas atualizações do blog? Assine a newsletter!